quinta-feira, 26 de julho de 2007

O VALE DOS TATUADOS



Já ouviram falar sobre o “Vale dos tatuados”? É o local, segundo crêem alguns, onde ficam exiladas as almas daqueles que, durante a vida terrena, marcaram seus corpos com tinta.
Há pessoas que acreditam que o próprio inferno aguarda por essas almas infelizes, ou que, no mínimo, elas não poderão entrar no céu (seria o próprio Deus preconceituoso?), e decerto ficarão penando, caso não tenham sido tão más em vida a ponto de merecerem a punição das chamas.

Não crendo em céu, inferno e danação eterna, alguns espíritas inventaram o tal vale para que não nos misturemos com as almas de pele “limpa”. Nesse lugar escuro viveremos como animais imundos e maltrapilhos, mesmo que tenhamos o coração mais puro e generoso que o de muitos não-tatuados... Lá poderemos, decerto, pensar em nosso pecado (a tatuagem) e, com medo da punição, não o cometeremos novamente em nossa próxima encarnação.

O que um desenho na pele influencia em nossa evolução espiritual é o que ainda não entendi...

Ouvi falar várias vezes nesse lugar. Um dia, uma senhora me chamou a atenção, na rua, com a nobre intenção de alertar sobre o meu desgraçado destino no além-túmulo. Respondi-lhe que tudo isso, para mim, não passava de uma invenção preconceituosa para inibir aqueles que desejam ter uma tatuagem, e taxar os já tatuados como diferentes e piores aos olhos de Deus: “Imagine se Deus vai se preocupar com a cor de nossa pele, o que importa para Ele é o que levamos em nossos corações.”

“Mas está escrito”, foi a sua resposta convicta.

É verdade, está escrito. E daí? Será que o fato de uma afirmação estar escrita e publicada faz com que ela passe a ser verdade absoluta e incontestável? Algumas pessoas acham que sim, principalmente pelo fato do referido texto ter sido psicografado, o que significa que as idéias e palavras foram imaginadas por um espírito e escritas pelas mãos de um médium. Para os seguidores da doutrina espírita, quando morremos, ou melhor, quando deixamos nosso corpo carnal, continuamos a ser a mesma pessoa, com a mesma personalidade, apenas livres das limitações da matéria. Ou seja, não passamos, a partir daí, a saber todas as verdades. Não nos tornamos oniscientes.


ESTÁ ESCRITO

O livro “Mais além do meu olhar” (Editora Recanto, 2001), escrito pelo Espírito Luiz Sérgio e psicografado pela médium Irene Pacheco Machado, tem uma descrição terrível desse local (o Vale dos Tatuados), e uma crítica ferrenha e extremamente preconceituosa contra aqueles que voluntariamente marcam sua pele com tinta. Como na Divina Comédia de Dante, o autor – desta vez acompanhado não por apenas um guia, mas por um pequeno grupo – passa pelos locais para onde são mandados os vários tipos de espíritos.

Abismos horríveis, locais como verdadeiras prisões malcheirosas, onde habitam espíritos deformados pelo mau-caráter e más ações. Locais para criminosos, estupradores, torturadores e molestadores de crianças, homicidas, traficantes e psicopatas. Tudo o que há de mais terrível e execrável no gênero humano. Um homem que torturou e matou cerca de 40 crianças, e que ainda se ria disso. Uma mulher que cometeu nada menos que 38 abortos quando encarnada, e agora era castigada naquele local de trevas.

E, em meio a todos esses “infernos”, nossos “heróis” se deparam, no capítulo 6, com o tenebroso Vale dos Tatuados, local escuro e horrendo, cujos habitantes pagam pelo pecado de terem estragado a sua “roupa perispiritual”.

Lendo as descrições do vale e seus habitantes, chego a imaginar uma gravura de Gustav Dorè para ilustrar os terríveis tormentos dessas almas, cujas tatuagens queimam como fogo e exalam uma incômoda fumaça escura.

Algumas mulheres são descritas com a aparência de verdadeiros demônios, cujas línguas, pesadas pelo excesso de piercings, chegavam até a altura do peito. Enquanto o grupo passava, elas diabolicamente mostravam as línguas e davam gargalhadas.

Em determinado momento, provavelmente com a intenção de não parecer preconceituoso – o que deve ser inaceitável para um espírito realmente evoluído – o autor questiona o seu guia a respeito daquele local reservado às pessoas que têm desenhos na pele, citando o fato de que existem tatuados com boas intenções. É informado então que nem todos vão para lá, apenas os “comprometidos”.

Em seguida, chama a atenção para o fato de que ali não se encontram pessoas que fizeram tatuagens pequenas, a maioria tem boa parte do corpo tatuado. A impressão que temos é de que o comprometimento da pessoa é proporcional à quantidade de tattoos que ela tem.

Ai, pobre de mim, ai! Será que não terei salvação?

Muitas daquelas almas atormentadas, ainda que não admitissem, estavam arrependidas das tatuagens que fizeram durante suas vidas terrenas, e desejavam então se ver livres delas. Algumas imploravam ao grupo dos “bons” que limpassem seus corpos, retirando a maldição, o sinal do mal. Mas um deles diz que “somente fazendo boas ações veremos apagadas todas essas estampas” (pág. 75). Neste trecho, fica explícita a intenção do autor de contrapor as boas ações ao fato de se ter tatuagens (no caso, a má ação). “Todos aqueles que estragaram sua roupa perispiritual terão de pagar ceitil por ceitil.” (pág. 74)

(Abro um parêntese para comentar o termo “estragar”. Quando uma pessoa se tatua, ela não está estragando seu corpo, e essa afirmação denota uma visão extremamente preconceituosa daqueles que não admitem ou não conseguem perceber pontos de vista diferentes dos seus. Quem gosta de tatuagens não as considera, de maneira alguma, como uma agressão ao corpo.)

Os espíritos tatuados, segundo o livro, são pessoas que não gostam de ninguém, nem de si mesmos. Ao ser questionado pelos motivos que o levaram a se tatuar, um deles responde: “Não sei. Acho que somos influenciados pelos trevosos, os chefões deste vale.” (pág. 77)

Cuidado, você que pensa em se tatuar! Está escrito: é influência das trevas!!!

Mas o problema, segundo o autor, não são as tatuagens em si. É que aqueles que se tatuaram deixaram de realizar a missão que tinham como encarnados. Em meu entendimento, para que essa afirmação seja coerente, a missão a que ele se refere deve ser “não se tatuar”. Pois obviamente não será o simples fato de termos ou não tatuagens que influenciará nosso caráter e ações, impedindo-nos de realizar aquilo que deveríamos.

Apesar da tentativa de nos mostrar que as almas que habitam o vale não estão ali pelo simples fato de serem tatuadas, mas pelas más ações e intenções, o autor alerta as mães de família sobre os “malefícios da tatuagem”, como se estas gerassem uma mudança de caráter e, conseqüentemente, as más ações.

Ainda nesse livro o autor critica a dança e a música dos jovens – ambas, com certeza, influenciadas pelos “espíritos inferiores”. (pág. 82) Ou seja, tudo o que desagrada a ele (o espírito Luís Sérgio), é atribuído a espíritos trevosos ou inferiores...
Será que isso é evolução espiritual? É não compreender e não aceitar pontos de vista diferentes? É pregar a intolerância?


CONCLUSÃO

Acho um absurdo que uma doutrina como a espírita, que prega amor, caridade e tolerância ao próximo tenha adeptos que espalhem esse tipo de idéias. É um insulto a qualquer doutrina ou religião que pessoas busquem, em seus ensinamentos, falsos embasamentos para justificar seus preconceitos pessoais!

A conclusão a que pude chegar é simples – os espíritas estão certos: quando nos livramos de nosso corpo carnal, não perdemos a nossa personalidade – nossas convicções, nossos medos, nossos afetos, nossos PRECONCEITOS. Lá (no mundo além-túmulo), como aqui, existem pessoas preconceituosas e que, pior, fazem o possível para divulgar seus pontos de vista distorcidos. Entendo que, em um primeiro momento, a intenção do espírito Luís Sérgio pode ter sido boa, pois o livro fala também sobre os problemas dos jovens com tóxicos, a importância de uma família bem estruturada e uma boa educação moral – coisa que é realmente necessária. Infelizmente, quando inclui a tatuagem como um mal a ser evitado (juntamente com drogas, promiscuidade e desrespeito) o que ele faz, ao contrário de instruir, é despertar e intensificar a intolerância que já existe contra determinado grupo de pessoas. Será que isso é evolução espiritual?




Bibliografia:
"Mais além do meu olhar"; pelo Espírito Luiz Sérgio; psicografado por Irene Pacheco Machado. - 1. ed. - Brasília: Livraria e Editora Recanto, 200 1. Este livro foi psicografado no ano de 1999.

63 comentários:

Anônimo disse...

Não conheço esse livro de Luiz Sérgio, mas particularmente não gosto de suas obras.

É necessário ressaltar que muitas vezes essas "revelações" são opiniões pessoais do espírito, ou mesmo opiniões do médium somente (o que constituiria simples animismo). Inclusive, muitos estudiosos espíritas consideram que a obra de Luiz Sérgio tem muito animismo, bem como a de vários outros autores espirituais.

"Leia tudo. Mas retenha somente o que for bom" - Kardec

osvaldo disse...

Não devemos Jamais generalizar, cada individuo é um universo de valores morais em constante movimento, não existe portanto, observação que possa ser tomada como ponta de partida para justificar todas as pessoas que usam tatuagens. A Tatuagens ''fere'' a estrutura perispiritual.(ponto) isso é um fato.
Pensamentos desequilibrados, alimentação desregrada, vicios de todos os tipos, condutas violentas , valores morais distorcidos, tudo isso'' desagua'' na estrutura perispiritual , ''marcando-a'' com a energia correspondente da conduta.
Assim, sendo, penso eu, que a tatuagem , não pode ser considerada , isoladamente, como decisiva e determimante na condição futura do espirito.
Afirmar isso e contrariar as Lei Divinas perfeitas e sabias.

Denilson Costa disse...

Cláudia, teu blog foi um grande achado pra mim. Fiz parte do movimento punk nos anos 80, e sempre gostei de tatuagens, mas por alguma razão, naquele tempo não as fiz; alias por sorte, pois hoje o nível dos trabalhos esta infinitamente melhor. Muitos anos depois me apaixonei pelo estilo oriental, e estava decidido a fazer um dragão, e agendei no estúdio. No dia acabei perdendo minha carteira e desisti do feito, mas como sempre busco uma explicação para as aparentes “ coincidências “ da vida, me perguntei o por que de perder minha carteira logo quando saia pra me tatuar... A resposta acabou vindo através de uma senhora de idade, médium, antiga amiga de minha família. Chegando na casa dela fui questionado sobre o que me levara lá. Quando falei da relação da perda da carteira com a tatuagem, ela de pronto falou,, “ você ia fazer um dragão não é ? Prometa me que nunca fará isso, você será perseguido pra sempre por espíritos, e nada mais dará certo na sua vida”.... Sai de lá satisfeito com a explicação, e entendi então porque perdi a carteira, seria ajuda dos bons espíritos... Isso não durou muito. Dias depois eu estava completamente inquieto e perturbado, tentando entender a lógica desse Deus e desses espíritos. Lembrei dos tempos do movimento punk, lembrei das roupas que usávamos, de nossas musicas, e tudo que usávamos no aspecto externo; roupa, indumentária, para transmitir as pessoas a nossa ânsia por justiça no mundo, e rejeição aos valores falidos da sociedade. Como adolescentes usávamos a música, a roupa e o comportamento, como forma de questionamento. Então me lembrei de alguns religiosos que fazem da bíblia um talão de cheques, e do penteado sóbrio, dos ternos elegantes e demais gostos refinados, dos lideres mundiais que compõe a classe dominante. São esses senhores bem vestidos, que freqüentam a igreja, os mesmos que declaram guerras, envenenam mares e rios... Quando não, essas guerras e perseguições são feitas pelos próprios religiosos.... Então é do lado dessa gente “ sóbria “ e engomada que Deus está ?

A adivinhação em relação a minha tatuagem sem eu nada ter dito, só aumentava a certeza de que houve uma participação espiritual, legitimando então a afirmação da médium aparentemente como uma “ verdade” absoluta. No meio dessa perturbação mental ou eu virava mais um comportado filho de deus, ou passava pro lado das trevas. Confusão mental, culpa, era só o que eu sentia. Se eu me tornasse “ comportado” estaria fazendo isso as custas de violentar minha própria visão de mundo, por outro lado seguindo minhas vontades, estaria condenado a perseguição espiritual, afinal a médium adivinhara que eu ia tatuar um dragão. Nesse meio tempo acabei descobrindo uma casa espírita ( Joana de Angelis ) na tijuca/RJ onde prestavam atendimento fraterno. Lá passei por uma regressão na qual me vi intimamente ligado ao dragão como representação simbólica de algum aspecto de força do meu universo interior. Nesse momento chorei, percebendo minha ligação íntima, ancestral, com o símbolo. Os dirigentes da casa discordaram totalmente da visão de tatuagem como condenação a perseguição espiritual e infortúnios na vida, e ressaltaram sobre conteúdo, coração, e intenção ao invés do aspecto externo ou da pele das pessoas como fatores de “ salvação” ou seja la do que queiram chamar o pós morte e os resultados de nossas ações na vida. Ainda folheando textos na sala de espera, deparei me com um livro chamado “ animismo e espiritismo “, ou algo do tipo, que explicava o fenômeno “adivinhatorio” em relação a tatuagem por outra possível via, ou seja, a capacidade do próprio médium em absorver informações quando conectado em sintonia mental, e os julgamentos que faz a partir de suas próprias crenças intimas estejam elas certas ou equivocadas. Pra fechar, anos depois o conhecido médium Divaldo Pereira Franco entrevistado numa revista sobre tatuagens refutou todas essas informações sobre complicações cármicas advindas de tatuagem. Indo um pouco mas alem, o médium Chico Xavier ainda na TV preto e branco manifestava se a favor da cirurgia plástica e seu potencial de renovar a auto estima dos indivíduos.

Os homens emprestam seus próprios preconceitos a deus e as religiões, e como citado aqui, um espírito desencarnado não é conhecedor de todas as verdades do universo. Conheço alguns livros de Luis Sergio, e embora haja um belo trabalho em relação as drogas, ele é repleto de preconceitos em relação a estética contemporânea da juventude, suas músicas, etc. Por essas e outras me afastei do movimento espírita !

Parabéns Claudia pela iniciativa, e pelos comentários do anonimo e do Osvaldo.

Denilson Costa, Rio de Janeiro – email: treino77@hotmail.com

china disse...

após ler o artigo me sinto á vontade p/expressar meu(s)pensamento(s).não sou ligado à religião,porisso desconsidero essa visão desse espirita(médium),acredito em caráter(bom)e tudo oq há de bom no ser humano.

Needle disse...

http://www.4shared.com/file/14487768/2e7aea7/Mais_Alm_do_Meu_Olhar_-_Luiz_Srgio_-_Irene_P_Machado.html?s=1

Marcelo disse...

RESUMINDO:

"Acho um absurdo que uma doutrina como a espírita, que prega amor, caridade e tolerância ao próximo tenha adeptos que espalhem esse tipo de idéias."

Perfeito e brilhante.

Marcelo de Freitas - 'owner' da comuna ADE RJ do Orkut:
http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=4834613

Marize disse...

Boa noite!
Um fato isolado sem fundo científico não pode macular a imagem da Doutrina que prega a Lei de Justiça, amor e caridade. Faz-se necessário separar smepre o joio do trigo e olhar com profunda caridade os insetos nos trigais. Não devemos responder com a mesma ignorância. Não conhecemos a verdade, não sabemos os fatos. Procuremos buscar cumprir as leis morais instituídas po Cristo, sermos o homem de bem e tudo mais vem como efeito do bem. Sejamos homens e mulheres de moral e usemos nosso livre arbítrio pautado nestas afirmações. O resto são restos. Avante todos em busca do amor a Jesus, a si e aos outros.

Anônimo disse...

Se toda alma de toda cultura onde tatuagens, ornamentos, cicatrização e modificações derivadas são ou foram costume ou tradição foram parar nesse vale... deve ser um paraíso de tão lindo =D

Doner_mafia disse...

foda_se para onde os tatuados vao,imagina so vai ser uma grande convesao..depois de morto ja era.
enquanto eu estiver vivo vou continuar tatuando o meu corpo, foda_se as pessoas que tem preconceito.

Fiorella Romana disse...

Paz e harmonia com todos!

Tempos atrás, quando estudávamos sobre o tema carnaval, foi levantada uma informação de que havia na atualidade, um reencarne em 'massa' de espíritos pertencentes a determinados orbes e que, aqui na Terra se reencontravam e se identificavam através das tatuagens. Ok, ainda não tive como verificar a fundo esta informação. Deixo-a para que mais pessoas possam buscá-la.

Algumas coisas me chamaram a atenção neste tópico, dentre elas destaco:

- O comentário de um rapaz dizendo que, em dado momento de sua vida, pertencia ao grupo de punks e que eles usavam da música, das tatuagens e da forma de se vestir para mostrar as mazelas da sociedade e outros fatos. Interessante que cansamos de ver notícias de que os Punks, os carecas, os 'isso' e os 'aquilo' se envolvem em confusões homéricas provocadas pelos excessos, seja de natureza alcoólica, seja de natureza comportamental. Oras, então podemos deduzir que alguns punks que cometeram determinados atos atrozes, podem estar nesse tal de vale de tatuados. Será?

- Segunda coisa que me chamou a a tenção foi esta frase: "Acho um absurdo que uma doutrina como a espírita, que prega amor, caridade e tolerância ao próximo tenha adeptos que espalhem esse tipo de idéias."
Realmente, é um tanto incoerente que pessoas que acreditam na Doutrina Espírita espalhem idéias que, a princípio, pareçam destoantes da mesma.

Mas, se formos analisar, como vi em um comentário de uma comunidade do orkut que direcionava a este tópico aqui, os semelhantes se atraem.

Tatuagens possuem significados. Antigamente, caso vocês não se recordem, os presos se tatuavam na prisão e pessoas com tatuagens feitas nas mãos, nos pulsos e em algumas partes do corpo, eram consideradas todas ex-presidiários e tratados com horror.

Os conceitos se modificaram, os modismos adentraram, as culturas se misturaram e cá estamos nós querendo colocar em nosso corpo desenhos ou símbolos que externem nossa forma de agir, que atraiam os olhares ou que nos evidencie de alguma forma. Sem problemas, faz parte de nossa escalada!!

Agora, se queremos buscar dentro da Doutrina Espírita a aceitação para a tatuagem, acho que estamos perdendo um pouco nosso tempo. A Doutrina é clara em muitos pontos e muitas coisas precisam ser analisadas.

Dentre elas é a do tempo. Que fazemos com nosso tempo? Como utilizamos os minutos e as horas que compõe cada dia de presença na Terra?

Buscando turbinar nosso corpo, buscando acessórios para nosso físico, ou turbinando nosso espírito e nele colocando acessórios para a vida eterna?

Faz parte de nossa evolução e, inclusive de nosso amadurecimento, darmos valor a determinadas coisas. Com o passar dos anos, das dores e dos aprendizados, vemos que algumas coisas são totalmente supérfluas.

Eu, particularmente, já senti vontade de colocar uma tatuagem. Algo discreto, para saciar meu personalismo. Mas, foi tão secundário e tão desencessário que acabei não fazendo.

A influência que temos em nossa sociedade e a necessidade que temos de nos adequarmos ao grupo, faz com que tenhamos esta vontade e/ou necessidade.

Bom...já que queremos ser influenciados por algum grupo ou por alguma sociedade, que tal nos deixarmos influenciar ( e ensinar nossos filhos a se deixarem também), por grupos que buscam o amor ao próximo, a caridade, o despojar dos velhos hábitos e dos velhos personalismos?

Que tal adentrarmos a grupos que buscam conversas edificantes, que buscam hábitos saudáveis e rotinas de crescimento?

E, por fim, lembro-lhes que a Doutrina Espírita é composta por seres humanos. Espíritos encarnados ou não. Ambos com seu grau evolutivo pessoal, com sua personalidade, seus defeitos e suas qualidades.

Como salientou o companheiro em comentário anterior: leia tudo, mas retenha o que for bom.

E, em se tratando de Doutrina Espírita, lembremo-nos de que não é porque está desencarnado e que 'falou', que é verdade...

Que seja a paz do Mestre Jesus com todos!

Marta Iracema disse...

Gostaria de deixar registrado que quando nos tatuamos queremos deixar lembranças de parentes ou maridos que ja morreram,para nos dar força para podermos continuar.Quando morremos levamos conosco o nosso estado de consciencia é o espirito que vai e nao o corpo portanto nao tem nada a ver a tatuagem ela atua como um enfeite no nosso corpo.Deus sabe disso, isto e preconceito dos homens e nao de Deus ele so quer saber dos nossos feitos na terra.

Anônimo disse...

Quem, por atavismo, sentir refluir tendências do passado, saudades da taba, ou as listras de quando era tigre, e quiser repetí-las na pele, tudo ok porque está de acordo consigo próprio. Sente-se bem assim? Legal. Uma tatuagem é um ponto de afirmação de uma idéia que lhe é importante. É um enfeite que particulariza uma pessoa. É um símbolo externo de um sentimento interior. É igual ao estilo de roupa que a pessoa gosta. Respeitemos as diferenças. Tatuagens coloridas e sentimentos fraternos são bons enfeites para qualquer pessoa.

Amrath disse...

eu creio na doutrina espírita e sou tatuador, oq acontece é uma má interpretação(oq alias ocorre em todas as religiões), nada pode ser maior do que a luz do seu coração e é isso que conta, eu imagino que carregamos conosco as vibrações dos desenhos e cores, mas oq é feio pra um pode ser bonito para outro e se somos felizes tatuados pq Deus(Chama que vive em todo Coração) iria se sentir infeliz? É muito limitado pelo preconceito, quer dizer então que os antigos índios que tiveram(e ainda teem) o corpo inteiro tatuado e sempre viveram em equílibrio com a Natureza não são dignos? Vale como leitura e questionamento mas não se atormentem por serem tatuados e sim procuremos sempre fazer o bem para o próximo que faremos bem para nós mesmos. Muita Luz pra todos ;)

Luciano Castro disse...

"Leia tudo. Mas retenha somente o que for bom" - Kardec

Kardec?

Pelo que eu saiba, foi o Apóstolo Paulo que disse tais palavras em sua epistola aos tessalonicenses. O colega aí só adaptou a palavra "Leia" e a indicou como sendo de autoria de Kardec, o resto é Paulino!

Jean Marcel disse...

Boa noite a todos, eu já li muitos livros do Espírito Luiz Sérgio, e discordo totalmente do que disse a(o) irmã(o) abaixo. Os livros de Luiz Sérgio são muito explicativos e é de total veracidade. Há médiuns que psicografam em seu nome, o que é errado. Luiz Sérgio psicografa apenas pela Editora Recanto. Sobre o tema, deve sim ser discutido, pois há quem faça uma tatuagem por motivos banais, como os rappers, e há quem faça apenas para registrar o amor por alguém que nunca esquecerá. Lendo alguns livros de Luiz Sérgio, percebe-se que o descrito é verdade, mas deve-se estar apto a encontrar a verdade, e deve-se estar em busca de uma resposta. Não devemos contestar um espírito tão iluminado, que vêm trazer-nos tantos ensinamentos. Para outros livros de Luiz Sérgio, Vera Lúcia Marinzeck de Carvalho e outros autores, podem enviar-me um email (jean.1205@hotmail.com). Farei se tudo para conseguir livros para os irmãos que queiram. Desejo uma boa noite a todos e fiquem com Deus.

Anônimo disse...

Nossa..preconceito além tumulo?
Essa é nova...

Muuuuita evolução pra esse espirito..

Anônimo disse...

Sinceramente. Não se pode dizer que o que foi relatado por Luiz Sérgio seja a luz da verdade pois, como dito aqui, quem psicografa é humano e quem emite as mensagens também foi.

É uma incognita que só o tempo vai dizer. Agora, em relação aos tempos atuais e às tatuagens, é um absurdo o que a televisão e o modismo faz com o ser humano. Hoje em dia vemos coisas pavorosas no corpo das pessoas, corpos totalmente ou parcialmente tatuados. Pra quê isso? modismo é uma desgraça que atenta as cabeças fracas e alienadas. Quer aparecer, pendura uma melancia no pescoço... muito melhor. A pior coisa do mundo é uma pessoa que faz um tipo de coisa desses para ser aceita numa sociedade podre e mediocre como a que vivemos. Sociedade futil, banal , mediocre e que vangloria o ter acima de tudo. Sou espirita e digo que assim como a doutrina catolica (que exalta um mortal) ou a doutrina evangelica (que é alienada) também tem seus defeitos.

Anônimo disse...

Continuando... não acho que sou melhor ou pior por ser espirita. Apenas considero que o elo, o equilibrio, no meu caso, aflora melhor com o espiritismo. Ja conheci muitas religiões e digo que nenhuma é perfeita. Tatuar ou não vai do gosto de cada um. Uma tatuagenzinha pequena, discreta tem o seu charme. Agora encher o corpo de desenhos é fruto da sociedade alienada que esta aí. Prova disso é que 70% das pessoas que se tatuam, arrependem-se posteriormente. Jarbas.silva@gmail.com

katia Martins disse...

Depois de tanto ler sobre o assunto, finalmente encontrei pensamentos inteligentes. Cláudia Tostes ,parabens pela tua materia.
Vi espiritas com nomes consagrados, expressarem opiniões preconceituosas sobre o assunto, e me decepcionei tanto. Me preparo pra me tornar uma tatuadora,e me pergunto sera que enfrentarei preconceito com meus irmaos de doutrina, pessoas que eu admirava pelo seus livros.
NAo sou ninguem para dizer o que é certo ou errado, mas o que aprendi ate hoje é que a doutrina, nao condena, e nao julga ninguem.Sempre ouvi isso.
E o que vejo com as materias que li, foi preconceito e mais preconceito,opinioes proprias,julgamento sem fundamento.
Por isso, Cláudia Tostes ,parabens por tua materia, por tua opiniao, no espiritismo deveria haver mais pessoas, como vc.
Um grande beijo a todos voces e nos vemos no VALE DOS TATUADOS!!!!!
hhauhauhau

MARISKA disse...

Poxa fala sério hen!estou estudando a doutrina espírita a pouco tempo a mas sei que para vc ir para um destino tão ruin tem que haver um conjunto de más ações,e assim como está escrito na biblia existe um julgamento final, onde será pesado as atitudes boas e ruins de toda sua hitória que foi escrita no livro da vida, pois bem então além de ser tatuadora eu sou tatuada ;OBS isto é só um exenplo:Mas como uma boa tatuada e tatuadora eu faço caridades amo meu proximo, respeito as diferenças, agradeço a Deus todos os dias pelo milagre da vida, estendo a mão a queles que me fasem mal, e mesmo assim serei enviada para um lugar digno do própio demonio espera ai né.!! Para os espíritas conservadores, para os novos espíritas e para aqueles que tambem não são espíritas eu digo, se enforme antes de falar ;Eu sei bem que estamos todos aqui para evoluir e uns são mais evoluidos que outros mas é bem sabido que cada um da o melhor de si na evolução ,derepente na proxima encarnção eu não sinta esta vontade de estar me tatuando ,por estar num nivel de evolução, em que eu ache meu própio corpo uma demonstração de arte, lindo perfeito e maravilhosamente projetado ,não que eu não ache meu corpo a mais perfeita das criações mas todos eu digo todos tatuados ou não, espiritas ou não temos que saber que Deus deu o livre arbitrio para usarmos da maneira que achasemos melhor, então se o todo poderoso fez dessa maneira, quem somos nós para apontarmos o dedo uns para os outros. Uma tatuagam pequenina ou o corpo todo tatuado, como disse o colega la de cima:o conportamento está de acordo com cada um, se você esta num estado em que acha que não precisa de uma tatto para ser feliz ,parabens ,esta é a sua evolução mas nunca jamais julgue ou menosprese seu proximo por que ele não é igual a vc valeu!! Quanto ao vale dos tatuados UM DIA VAMOS SABER: BJKAS PARA TODOS .

mae_sozinha disse...

ainda mais isso

ri mto...

meu deus, me lasquei...

oq q se faz heim, a gente tira na faca eh??? rs

me poupe

Carla Gontijo disse...

Por acaso esse livro tem aprovação da FEB, ele tem alguma fundamentação no pentateuco espírita???

eu disse...

Olha eu tenho 4 tatuagens e não me arrependo se não houvese preconceito na sociedade eu me tatuaria muiiiito mais,não acho q as tatuagens tenham o poder de me lançar no umbral.É verdade q o semelhante sempre atrai seu semelhante,mas por exemplo um punk q se tatue não vai atrair um bandido q se tatue na prisão,uma coisa não tem relação com a outra.se fosse assim gostaria de atrair a viviane araujo no vale dos tatuados kakakakkakaka e pensando bem os tatuadores fariam muita grana por lá kakakakakakaakaE digo mais os espiritos tem condiçoes de altera sua forma e imagem ate em animais eles podem se transformar então será q seria impossivel a um espirito remover as propias tatuagens se fosse do seu interese???
abraços a todos e desculpe as brincadeiras.

Renato Messas disse...

o problema não é o corpo! é o perispirito, ali se encontravam espeiritos com o perispirito marcado, e que ao mesmo tempo não ligavam para isso... o corpo é presente de Deus, empréstimo, nao devemos modifica-lo! caso contrario teremos um preço a pagar, acompanhei um outro relato de um espirito que precisou fazer trabalhos de caridade para tirar as marcas do seu perispirito! questao de purificar...

Renato Messas disse...

o problema não é o corpo! é o perispirito, ali se encontravam espeiritos com o perispirito marcado, e que ao mesmo tempo não ligavam para isso... o corpo é presente de Deus, empréstimo, nao devemos modifica-lo! caso contrario teremos um preço a pagar, acompanhei um outro relato de um espirito que precisou fazer trabalhos de caridade para tirar as marcas do seu perispirito! questao de purificar...

dindadoadrus disse...

Bom.. acredito que primeiramente temos que tomar cuidado com qual fonte estamos buscando informações, Luis Sergio apesar de boas obras, não tem seus livros pela FEB, não me pergunte pq, mas algum motivo deve ter; seus livros são de bom teor, mas nesse ponto do Vale do Tatuados acredito que generalizou demais, tornou a doutrina espírita a "doutrina dos preconceituosos", uma marca no corpo é superior a uma coração bom? E tatuagens de maquiagens definitivas? Se nos apegarmos a "agressão ao corpo", um furo na orelha na menina qdo nasce pra por um brinco, não deixa de ser uma agressão ao corpo? Acho que em TUDO devemos olhar qual a intenção.. é isso que nossa doutrina prega, e se ela passa por preconceituosa é mais uma vez por causa do HOMEM e suas distorções na interpretação. Qual a intenção com aquela tatuagem? O que está por traz dela? Acho que é isso que temos que olhar. Minha irmã desencarnou tragicamente em um acidente de carro há menos de 2 meses, foi evangelizadora por um tempo no Centro Espírita, ela tinha tatuagem, já recebemos mensagens consoladoras de que ela está bem, muito bem amparada, está em um hospital, e que esse processo foi um resgate que ela e nós estavamos sendo preparados há tempos, já te adianto q ela não passou pelo Vale dos dores e choros dos Tatuados. Hoje eu penso seriamente em fazer a tatuagem do rosto dela sorrindo que é essa imagem que eu quero guardar sempre cmg. Onde está a má intenção nisso? Acho q acima de tudo somos julgados pelo nosso coração, o que se escuta diferente disso, é distorção e opinião do HOMEM, e não de uma doutrina maravilhosa de amor e consolo.

Anônimo disse...

Amigo dindadoadrus, o seu relato me emocionou muito e foi um conforto para mim, que sempre tive vontade de fazer uma tatuagem e que, de repente me vi em meio a uma discussão sobre danos que este ato poderia causar ao espírito. Inicialmente, me senti decepcionada com o Espiritismo, mas comecei a olhar mais opiniões, já que estudos sobre o assunto eu não encontrei na web, e as palavras de pessoas sábias e evoluídas, como você, me fortaleceram. Tenho certeza que nos tatuar ou colocar um brinco não está ferindo ou prejudicando nosso espírito, muito menos modificando nosso caráter. Creio que alguém que comete excessos, quaisquer que sejam eles, realmente tem muito que aprender e trabalhar em seu espírito, e tem uma longa trajetória de evolução, mas não pode-se generalizar em hipótese alguma. Deus é bondoso e vê cada um individualmente, de acordo com suas ações e xsentimentos e é nisso que creio.
Deus abençoe a todos e que consigamos nos libertar dos preconceitos, só assim evoluiremos para um nível onde não haverá tanta violência e discórdia.

Anônimo disse...

Infelismente o que afasta os homens de Deus é a religião ,Se há
uma criação existe um criador .
Deus disse , Vinde a mim como estas , ( como esta ) e de jeito nenhum te lançarei fora .

Anônimo disse...

Acho que você deveria ler o livro com a mente aberta e perceber que as "tatuagens" que o livro fala não são tatuagens no sentido literal, de meros desenhos no corpo. O fato de se desenhar na pele não é o que é questionado no livro, e sim as marcas deixadas pelas nossas ações, essas é que são as "tatuagens" de que o livro fala, porém, ele usa uma linguagem figurada. O que é levantado ali, não são tatuagens feitas com tinta, mas tatuagens feitas com palavras, ações, gestos, etc.

Anônimo disse...

Gostei dos comentários, porem não devemos levar tudo ao pé da letra,as vezes é facil julgar ,algo ou pessoas ,por seus pontos de vista diferentes dos nossos.Quando é dito algo que não concordamos a isso chamamos de opinião própria, as dos outros rotulamos como preconceituosos,quando não conhecemos uma doutrina ou religião é um erro julgar, sem um bom conhecimento de causa e mesmo assim corremos serio risco de criticar o desconhecido, acredito que o espírito Luiz Sergio,tentou passar o que é invisível aos nossos olhos ,porem cabe a cada um o estudo profundo e honesto um livro não é feito apenas de um capitulo

ricardo disse...

Daqui à pouco vai ter vale das oxigenadas, das siliconadas, do botox!
.
Isso tudo só tem um nome: preconceito revelado em animismo!

joao vivaldo alves disse...

a Biblia fala que nenhuma condenaçao há para aqueles que estao em Cristo Jesus.Mas o ser humano pode dizer:e as outras religioes serao condenadas?. Bom, o ser humano cria muitas religioes e que na verdade a religiao é uma postura humana, mas a existencia divina é real e que Cristo é o unico que Deus enviou para dar como sacrificio vivo para que nossos pecados sejam lavados. Tanto a tatuagem como roubar, ou fazer algo que é contra a lei divina é dado como condenaçao, mas é como diz na biblia: todos pecaram e estao restituidos da graça(salvaçao) de Deus e que escolheram agir por suas proprias leis humanas, entao é reconhecer que sao pecadores(que nao buscam a verdade(Deus)e que no dia do julgamento inventem suas desculpas) e das quais tambem serei julgado pois, tenho quase 40% do meu corpo tatuado e que serei julgado, nao só por causa da tatuagem, mas, por todas as vezes que fui contra o que Deus escolheu para seu povo.

caianabeto disse...

Amigos devo dizer que tenho sim preconceitos, diversos, mas aqui não cabe cita-los... Porém numa visão sem preconceitos vamos analisar... Se o corpo é empréstimo de DEUS, que um dia temos que restitui-Lo, não seria de bom grado devolve-lo como recebemos ??? Pois responderemos por tudo que de bom ou de mal fizemos. Zelar seria a melhor opção. E devolve-lo sem macula.. Paz em Cristo

Anônimo disse...

Olá pessoal,
Tem casos e casos, sem generalizar,não é por que você fez uma tatuagem que vai parar no Vale dos Tatuados.
O motivo, a intenção da tatuagem são os fatores que iram pesar.É certo dizer que se você foi agraciado por Deus com um corpo perfeito, sem manchas, deveria cuidar com carinho dessa vestimenta.
Pelo que lí em livros espíritas, o que vai acontecer é que em uma próxima encarnação, seu corpo venha com manchas, e ou feridas nos locais onde você feriu seu períspirito. Mas isso se dá também a quem se fere com o fumo, a bebida, as más atitudes,etc.
Procurem ler mais Kardec e Chico Xavier.

Renato disse...

Pessoal e claudia!
Não se deve levar tudo ao pé da letra, assim como temos o termo criminosos, não quer dizer que todos cometeram o mesmo crime ou irão cumprir a mesma pena, por isso que existe as diferenças e todos os criminosos são "julgados" e seus crimes vão receber a punição compatível (bem, pelo menos assim deveria ser).
A questão sobre o vale dos tatuados está intimamente ligado ao "sentimento" que gera vínvulos, por isso se criaram vales, todos eles "habitados" por espíritos que "sintonizam" em algo comum.
Pensando assim, atraímos para nossa companhia espíritos que simpatizam com nossas idéias e atitudes e com eles criamos vínculos de benefícios ou malefícios, os que agem pelo bem, com sentimentos de amor e caridade irão estar sempre acompanhados de espíritos bons. Agora, os que sempre agem com egoísmo, avareza, luxuria, desonestidade, cobiça entre outros sentimentos negativos acabaram acompanhados por seres de pouca luz, sofredores e carentes.
Essas relações é que geram o surgimento dos vales, pois acabam criando uma relação de mutualismo, onde ambos lucram, e as vezes os encarnados buscam benfícios materiais e alcançando-os (não por mérito ou justiça e sim através dos sentimentos ruins) acaba por aumentar ainda mais essa ligação.

Agora te pergunto, a grande maioria das pessoas que fazem tatuagem fazendo pensando no que? e acabam imprimindo em seu perispírito qual energia? Essa é a maior questão, qual energia foi movimentada ao fazer a tatuagem?

um abraço fraterno

Anônimo disse...

Renato,
O grande erro está justamente em acreditar que todos que fazem tatuagens fazem por razões parecidas e têm energias parecida... as pessoas (incluisve as tatuadas) são muito diferentes entre si, e suas razões são inúmeras. Tem gente que se tatua por vaidade, outros para homenagearem alguém, outros , como uma forma de guardar para sempre, na pele, a lembrança de um momento bom, ou uma superração... como incentivo para superar um momento difícil na vida (que será sempre lembrado), por tradições culturais, para se contrapor a algo com que não concorda na sociedade em que vive (e, convenhamos, que nossa sociedade tem muitos defeitos - inclusive o preconceito contra o diferente), etc.
O erro é pensar que todos têm algo espiritual em comum por terem decidido ter uma imagem impressa na pele. O que precisamos é entender que pessoas tem pontos de vista diferentes, e cada um tem seu valor...

Anônimo disse...

Sou espírita, e o restante da minha família também.
Acho interessante esse preconceito com as tatuagens .
'' Marca o períspírito '' uma tatuagem? E um silicone? E uma plástica?
Quem faz não está também modificando o corpo por motivos estéticos e da moda?
Ou fazer um desenho na pele, é menos agressivo que um balão de silicone numa parte do corpo que é usada para amamentar ?
E os homens que vão pra academia? Que tomam suplementos?
Não estão também modificando seu corpo?
Sem falar que se for pensar assim..
E se alguem recebe um transplante?
Ta colocando parte do corpo de um morto no seu.Se deus lhe deu uma parte defeituosa, talvez seja seu carma ficar com ela.



Quero ver se esse autor lança um livro :
'' O vale das siliconadas ''
''O vale dos lipoaspirados''

Maíra Gomes Monte

Anônimo disse...

Maíra,
adorei seu comentário!
concordo com cada vírgula.
Não tenho nada contra nenhum tipo de modificação, inclusive silicone, músculos em excesso etc, acho que o que importam são os nossos pensamentos e atitudes. E acho estranho as pessoas discriminarem dessa forma tatuagens e piercings, sendo que, se for pensar, silicone e lipo são procedimentos muito mais invasivos.


Cláudia.

Anônimo disse...

Não podemos, usar isso de forma generalizada. aliás nada no espiritismo deve ser compreendido assim. Tudo tem que ser considerado fatos isolados por individuo. todos sabemos que por trastras de cada ação existe uma intenção, ou boa ou ruim. Depende do que esta dentro dos nossos corações e da nossa vontade de ser alguem melhor. A minha conduto de vida é sempre viver para o bem. Tentar observar a vida de uma forma que me coloque sempre no caminho da luz. Mas estejam certo que um dos itens que todos tem como missão esta a pratica da caridade! Então não importa se você tem o rosto do seu filho tatuado na testa, pratique o amor ao próximo, pense em coisas positivas, mande vibrações dessa natureza para seus irmãos e até inimigos e mantenha sempre Jesus em seus corações.

Regis disse...

Eu gosto muito de tatuagens, mas não tenho nenhuma. Sou espírita já a alguns anos e digo que você fez uma análise muito superficial do assunto. Isto é muito mais complexo do que mero "preconceito". Se diz que até mesmo uma cicatriz marcará seu periespirito, e uma tatuagem, é como, na visão espírita, uma cicatriz que a pessoa faz por livre e espontânea vontade no seu próprio corpo, ou seja, é considerado uma agressão corporal e "espiritual" sim!

Anônimo disse...

Devemos lembrar que o julgamento não nos cabe. Devemos nos lembrar que não importa nossas opniões perante a verdade que nos fogem a compreensão. Como disse um anjo chamado Seth (cidade dos anjos): Algumas coisas são verdade acredite nelas ou não.
Devemos lembrar que muitos dos que sofrem se indignam por não poder reconhecer as dimensões e gravidades de seus erros. Tentar se convencer de que não estão errados é um modo fácil de conviver consigo mesmos.
Se preocupar se "você" será condenado, porque "você" pensa diferente, e o que será de "você" depois da morte cega o entendimento que pode ser atingido puramente por intuição, reflexão e oração e faz o pensamento girar apenas em torno do EGO, ponto principal dessa discussão.
Analisando a tatuagem contemporânea (excluindo logicamente os povos tradicionais e indigenas que se marcam por devoção, por ser este o nivel de consciencia que lhes compete), o que é ela se não um processo de mutilação corporal com valores meramente estéticos? Vale a pena machucar o corpo apenas para a transmissao de mensagens que poderiam ser passadas perfeitamente por palavras ou ações?
Importa reconhecer, pois, embora isso possa ferir o orgulho de muitos, que tatuar o corpo, mesmo que implicitamente, é um modo de expressão da individualidade (EGO) e representa um apego a valores corporais de natureza passageira. A chave para a evolução espiritual e a compreensão maior está no desapego ao EGO, que prepara a alma para graus de conciencia mais elevados.
Porém, lembremos que "todo passaro é uma ave mas nem toda ave é um pássaro". A tatuagem não condena, mas caso exista tal lugar, muitos que estão lá estavam por demais agarrados a valores corporeos. A tatuagem seria mais uma consequencia visivel de um padrao de comportamento do que uma causa. Seria ela pois uma caracteristica perispiritual que fez com que espiritos de semelhante padrao vibratorio de recenhecessem.
Tanto é esse apego que mesmo depois de desencarnados ele acreditam ter as tatuagens, pois seu nivel de compreensão não lhes permite compreender que o tecido perispiritual em verdade reflete o que crêem ser.
Praticar boas ações afasta a consciencia de em torno do EGO e foca esta na caridade fraterna. O aniquilamento do EGO permite que o EU, livre de orgulho e de sua propria individualidade, não mais cego, sintonize com vibrações superiores que trazem consigo o espiritto da compreensão, essencial para a cura desses irmãos.

Desculpem se fui ofensivo. Mas nas palavras de Gandhi : "só há ofensa quando há um EGO a se ofender", e espero de meus irmãos espiritas a devida compreensão da importancia da reflexão para tão importantes valores.

Fiquem com Deus

Anônimo disse...

O último anônimo que postou (esse povo não deixa um nome nem mesmo apelido pra gente poder chamá-los...)começa seu grande e pretencioso texto afirmando que não cabe a nós o julgamento, mas ao longo do que escreve julga-nos a todos, os tatuados, como tendo um padrão semelhante de comortamento. Pobres destas mentes curtas, que não conseguem enxergar a vastidão de diferenças entre os indivíduos, que mesmo no universo dos tatuados, existem pessoas muito, mas muito diferentes entre si...
Sou espírita, mas não frequento nenhum centro exatamente por causa deste tipo de gente, que do alto de sua arrogância não enxerga um palmo sequer na frente do próprio nariz, fechados em seu próprio universo e julgando tudo aquilo que desconhecem...
Esse tipo de atitude não educa nem doutrina; faz um desfavor ao próprio espiritismo, pois afasta pessoas que poderiam se interessar em conhecer melhor a doutrina.

Cláudia.

Anônimo disse...

Costumo frequentar reuniões espíritas e simpatizo com as idéias da doutrina. Fiquei curioso, e também inquieto, sobre o suposto "Vale dos Tatuados".

Encontrei a opinião de um famoso médium no meio espírita, neste blog:

http://www.cidadedaluz.com.br/blog/2009/04/tatuagem-faz-mal.html

Segue a transcrição:

"sexta-feira, 17 de abril de 2009
TATUAGEM FAZ MAL?????!!!!!!!!

A pedido de Breno, estou trazendo esta discussão para nós. Será que realmente a pessoa que se tatua vai para o tal "vale do tatuado" que alguns têm dito? Vejo isso tudo como uma grande besteira. Ainda é o sinal do preconceito que existia contra os tatuados, que eram tidos como marginais. É na mente humana que se encontram, em registro no perispírito, o seu manancial de conquistas, que fará o indivíduo se sentir no céu ou no inferno de consciência, não uma tatuagem, ou pircing... O povo não tem o que pensar e fica inventando histórias. É o que eu penso, mas quais são as dúvidas de vocês???

postado por José Medrado às 11:21"

Creio que esta seja a posição que mais se enquadra com aquilo que já li e ouvi em palestras proferidas dentro do espiritismo.

Espero ter ajudado no esclarecimento desta questão.

Thiago Ventura

Anônimo disse...

E quem tem silicone, e ja fez diversas cirurgias plasticas no rosto para ficar linda.... Aiaiaia!pobre de mim então, queimarei na fogueira das vaidades.... é cada um q aparece!

Augusto Alves disse...

A questão é, vc é tão apegado a metéria que tem vontade de tatuar seu corpo que Deus ja fez questão de fazer perfeito ?

José Agenor disse...

Gostei do post, mas assim também acho que não se pode generalizar, sou espírita e acredito que aqueles que tatuam o corpo a tal ponto de prejudicar a carne pode ser considerado como um suicida inconsciente e esse sim passara por grandes dificuldades no umbral, não sei se existe mesmo esse vale e também não sou nem a favor nem contra as tautagens.

Paulo Dalla Chiesa disse...

Gostaria de fazer uma indicação de leitura ao criador [criadora?] desta postagem: "Nosso lar" de André Luiz, não o filme [q na minha opinião distorceu bastante as coisas, o livro. Este foi o 1º livro q li sobre a doutrina espírita e acredito ser o melhor para ser lido por quem nada ou mto pouco sabe sobre o espiritismo.
Depois dele vc pode ler "Céu e Inferno" de Alan Kardec q explica então as diferenças e "ensina a pensar" sobre o assunto de forma racional e objetiva.
Li a maioria das linhas escritas aqui e não encontrei nada além de achismo de alguém q não sabe mto bem sobre o q está falando.
Sou tatuador e, logicamente, tatuado... acredito e entendo o termo "marcar o perispírito" pq além de ser uma arte linda e digna de adoração, é algo feito atravpes da dor. É essa mesma dor q nos marca.. por mais q se goste É uma agressão descabida, aguentamos as horas de agulhadas em função do seu resultado, mas infelizmente isso acarreta em faltas... não se trata de preconceito mas sim em uma regra básica, onde diz q o corpo, a veste carnal nos foi dáda intacta e assim deve ser devolvida [e sim, isso tbm vale para cirurgias estéticas, quando estas não são realmente necessárias, por isso digo q precisa haver o bom senso e entendimento]
Existe o livre arbítrio, onde cada um é dono do seu próprio nariz, porém existe a vontade do criador acima de td, e, td q sair mto deste parâmetro, deverá ser explicado.
Minha opinião sobre o assunto? Acredito q boas pessoas, q vivam de forma a fazer sempre o melhor a si e ao próximo, q não tentam tirar vantagem sempre q possível sobre seus semelhantes, acredito q estes não precisem preocupar-se, sejam estes tatuados ou não. Porém q haja a conciência de q o pouco feito, por menos q seja, deverá ser expurgado para q assim sigamos nossa caminhada em busca da evolução.

Aline Kubo disse...

A doutrina espírita sempre deixou claro que o que marca o perispírito são as nossas atitudes. Lembremos também que essa é a visão da blogger sobre o livro e antes de concordar ou discordar devemos ler e elaborar nosso próprio ponto de vista pois apenas tem razão quem tem conhecimento sobre o que está sendo analizado afinal, sem o entendimento racional, cada um enxerga o que quer.

José Antonio disse...

Nossa, quanta bobagem, e os espíritas se dizem diferentes dos católicos ou evangélicos, no espiritismo tem tanta punição e dogma quanto as outras religiões, e quem são são os espíritas ou qualquer outro religioso, para dizer o que certo ou errado em relação a Deus? Algum deles falou diretamente com Deus?
Tenho algumas tatuagens e vou fazer mais!!!!

Anônimo disse...

kkkkkkk,olha que bonitinho essas palavras!raaaacho de rir desses ridiculos!quanta ignorancia meus amigos!chega,nem tenho mais o que dizer!

Anônimo disse...

Sou espírita há mais de 40 anos e nunca ouvi falar de vale dos tatuados! Que bobagem! E ainda por cima envolvendo, com preconceito, uma doutrina que valoriza o livre-arbítrio e fé raciocinada.
Sou mãe de tatuador, eu mesma tenho várias tatuagens, o que não me impede de frequentar e dar aulas no centro onde trabalho há mais de 10 anos.
Cláudia Valente
Tem muita gente escrevendo bobagens por aí. O papel aceita qualquer coisa. É preciso peneirar as informações e reter apenas o que for verdadeiro, descartando invencionices, personalismos e invenção de gente (espíritos inclusive)sem noção.
Espíritos são gente também. E gente comete erros e abusos, principalmente no caso dos desencarnados, pois muitas pessoas lhes dão crédito apenas por estarem na condição de desencarnados.
Recomendo discernimento!

Cesar Werlon disse...

Olá, é bom deixar claro que o livro nao fala que existe um vale exclusivo para todas as pessoas que possuem tatuagens , ele exemplifica que existe um vale onde espíritos com afinidade estão reunidos, espíritos que possuem tatuagens que tiveram ideologias parecidas, na questão do orgulho da vaidade etc.

Anônimo disse...

O ESpÍRITO pRECONCEITUOSO Q ESCREVEU ESSE LIVRO,NECESSITA DE MUITA LUZ.

Anônimo disse...

Pensem um pouco!! Independente de religião, na dúvida é melhor evitar!! Façam como eu, não bebam, não fumem, não se tatue, etc. Quem vcs acham q será prejudicado, eu? Não façam como mtos q são maria vai com as outras, tenham força e personalidade!!

Anônimo disse...

Nunca li este livro, mas já ouvido comentários sobre este vale.
Não descarto a possibilidade da existência, acho que tudo depende de suas intenções. Tenho duas tatoos com temas diversos, mas que fiz por boa intenção.
Existem pessoas que deformam totalmente o corpo e acho que ai é que está o problema. Vi na TV um homem que queria parecer o diabo e mudou todo seu corpo, ora, como ele chegará ao outro lado? Entende?
Sou espírita Kardecista cristão e trabalho em um centro perto de casa. Temos que tomar cuidado com que lemos e guardarmos o que achamos ser bom da leitura.
parabéns pelo post.

Dy Magalhaes disse...

Muitos aqui falam de EGO, vaidade, egoismo e tudo mais. Qualquer coisa que façamos é por vaidade.
Logico que tudo o que fazemos muito, não apenas em tatuagem, é um mal ao nosso espirito.
Comer de mais ou de menos faz mal, fazer exercício ou não fazer faz mal ao corpo e ao espirito. Deixar de fazer uma coisa que gostamos por achar que seremos julgados também faz mal, pois ficaremos infeliz por não termos feito uma coisa que nos agradava.
Se fizermos apenas coisas que não maltrate ninguém, não fará mal a ninguém nem a propria pessoa pq nao fazer?
Sempre gostei da doutrina espirita, mas esses dias li um livro sobre o preconceito em todas as religiões inclusive na Espirita, depois disso comecei a prestar mais atenção. Realmente o preconceito existe, muitos "espiritas" não aceitam opinião de outras religiões e se acham os donos do mundo.
Acredito eu como seguidora do espiritismo que o preconceito é o pior mal que existe, ninguém é melhor que ninguém e ninguém é o dono da verdade.
EGO todos temos. Quem aki nunca comprou uma roupa bonita para um evento ou mesmo para o dia a dia?
Quem nunca gastou dinheiro em um bom corte de cabelo? Quem nunca se deu ao luxo de ir em uma balada da moda? Tirar uma sobrancelha, fazer as unhas ou comprar um brinco uma correntinha ou qualquer outra coisa?
Acho interessante o julgamento dos outros mas nunca de si mesmo. Eu sou vaidosa, nao ao extremo pq nao ligo para roupas, mas tattoo é uma coisa que eu gosto. Não colocaria silicone, botox ou qualquer coisa do tipo, mas sim tenho trés tattoos e farei mais.
Se meu destino é o vale dos tatuados, então não tem jeito.
So acho engraçado um pai perdoar seu filho ladrão ou viciado e DEUS nosso PAI não perdoar.
Se uma tatuagem é mais importante que minhas boas ações,o que farei então?
Fico por aqui.

Que Deus nosso pai de amor siga sempre conosco, tatuados ou não.

Anônimo disse...

Muitos aqui falam de EGO, vaidade, egoismo e tudo mais. Qualquer coisa que façamos é por vaidade.
Logico que tudo o que fazemos muito, não apenas em tatuagem, é um mal ao nosso espirito.
Comer de mais ou de menos faz mal, fazer exercício ou não fazer faz mal ao corpo e ao espirito. Deixar de fazer uma coisa que gostamos por achar que seremos julgados também faz mal, pois ficaremos infeliz por não termos feito uma coisa que nos agradava.
Se fizermos apenas coisas que não maltrate ninguém, não fará mal a ninguém nem a propria pessoa pq nao fazer?
Sempre gostei da doutrina espirita, mas esses dias li um livro sobre o preconceito em todas as religiões inclusive na Espirita, depois disso comecei a prestar mais atenção. Realmente o preconceito existe, muitos "espiritas" não aceitam opinião de outras religiões e se acham os donos do mundo.
Acredito eu como seguidora do espiritismo que o preconceito é o pior mal que existe, ninguém é melhor que ninguém e ninguém é o dono da verdade.
EGO todos temos. Quem aki nunca comprou uma roupa bonita para um evento ou mesmo para o dia a dia?
Quem nunca gastou dinheiro em um bom corte de cabelo? Quem nunca se deu ao luxo de ir em uma balada da moda? Tirar uma sobrancelha, fazer as unhas ou comprar um brinco uma correntinha ou qualquer outra coisa?
Acho interessante o julgamento dos outros mas nunca de si mesmo. Eu sou vaidosa, nao ao extremo pq nao ligo para roupas, mas tattoo é uma coisa que eu gosto. Não colocaria silicone, botox ou qualquer coisa do tipo, mas sim tenho trés tattoos e farei mais.
Se meu destino é o vale dos tatuados, então não tem jeito.
So acho engraçado um pai perdoar seu filho ladrão ou viciado e DEUS nosso PAI não perdoar.
Se uma tatuagem é mais importante que minhas boas ações,o que farei então?
Fico por aqui.

Que Deus nosso pai de amor siga sempre conosco, tatuados ou não.

Unknown disse...

Ao ler sobre os tatuados postado venho para mim que realmente cada vez mais será cobrado daqueles que mais com prendem a sua existência terrena e vão aos poucos saindo da ilusão de maya.
Com certeza aos nos desviarmos das leis divinas somos nós (espírito) que sofremos as consequências de nossos atos impensados muitas vezes e que nada tem haver com condenação de Deus que jamais condena... Deus é amor e somos filhos do amor!!!
Abraços

Fernando Hermany disse...

Fernando Hermany.
Não vi em momento algum PRECONCEITO, por parte de ninguém.
Entendo que simplesmente Luiz Sérgio, que fazia parte daquela equipe que estava excurcionando para fins de aprendizagem, relatou o que viu e escutou e repassou ao livro em questão. Avisados nós fomos; agora tatua-se quem o quer.

Cláudia Tostes disse...

Fernando, o que muita gente não entende é que o Luis Sérgio não andou por esses vales, o livro é uma FICÇÂO. Nem todo livro psicografado é baseado em fatos vividos, e isso não é segredo, o Luis sérgio não esconde que o livro é ficção. Não é retrato da realidade, mas o ponto de vista de uma pessoa (desencarnada) sobre determinado assunto.
abraço e obrigada pela visita e comentário.

Anônimo disse...

Tenhamos em mente a orientação evangélica: "Onde está o teu tesouro, aí está o teu coração." A questão então é nos perguntarmos: onde está o nosso tesouro?

cl vascaina disse...

eu sou espírita e sou tatuada,eu e meu marido,fiz tatuagens com o nome dele,e agora vou fazer a foto dele e das nossas filhas...sobre os tatuados irem para o umbral...acho que eles não vão para lá só por serem tatuados,vão por outros motivos,e quando chegam lá se atraem por term afinidades e gostos em comum,como tatuar o corpo.

Debora Barbosa disse...

Acontece que tudo na nossa vida depende na INTENÇÃO.
O livro relata um caso de uma pessoa que tinha tatuado na pele um satanás batendo em cristo. Agora pense na índole dessa pessoa. E no livro também diz que a maioria das pessoas que estavam no vale tinha quase o corpo todo tatuado. Só basta ter bom senso e saber discernir, pensa na intenção de uma pessoa que tatua coisas desse tipo.
Eu sou espírita e ainda quero fazer uma tatuagem.
o que realente importa é o seu carater, a doutrina diz que acima de tudo, devemos saber usar bem o nosso livre arbítrio. E acho que se a pessoa se importa mais a sua melhora pessoal, se é uma pessoa de bem, que mal tem?

Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará.
Muito paz e amor.